Escolher um fundo adequado para mim

Definir objetivos de investimento

O primeiro aspeto que deverá definir antes de escolher os fundos a investir é qual o objetivo do seu investimento. Tanto em termos de prazo, com em termos de rentabilidade esperada e risco.

Se pretender um horizonte temporal de investimento mais longo, poderá optar por fundos com maior risco que muitas vezes também têm a capacidade de gerar retornos superiores. Um exemplo são os fundos compostos por ações que, apesar de poderem gerar retornos generosos com frequência, em situações de crise podem ter quedas relevantes. No entanto, para investimentos de longo prazo, estas quedas serão tendencialmente anuladas pelas mais valias obtidas no tempo restante.

O nível de rentabilidade esperado é outro dos fatores importantes que deve definir previamente. Para isso, deverá ter em conta que este se encontra diretamente relacionado com o risco nomeadamente, quanto maior o risco mais alto é o retorno esperado. Vejamos dois exemplos:

  • Se o seu objetivo é a preservação do capital investido, então deverá optar por fundos de investimento de menor risco e, consequentemente, retorno esperado mais baixo. Apesar da rentabilidade poder ser mais baixa quando comparada com outros fundos, muitas vezes esta é significativamente superior às taxas oferecidas pelos depósitos a prazo tradicionais. Um exemplo de fundos deste tipo são fundos de obrigações;
  • Se o seu objetivo é um investimento de longo prazo para usufruir daqui a umas dezenas de anos, poderá escolher fundos de investimento de maior risco. Estes fundos poderão ter alguma volatilidade e até perdas no curto prazo, mas a longo prazo, o seu retorno superior acabará por compensar. Neste caso falamos, por exemplo, de fundos de ações.

Escolher fundos adequados

Depois de definir os objetivos do seu investimento é altura de começar a pesquisar quais os fundos que mais se encaixam nestes. Além disso deverá ter em atenção outros fatores que lhe podem conferir uma segurança adicional.

Um dos fatores importantes é o ano em que o fundo foi criado. Este pode ajudar a tirar algumas conclusões acerca do comportamento do fundo ao longo do tempo e em diferentes situações de mercado. Por outro lado, um fundo mais antigo e com uma performance comprovada ao longo do tempo, oferece mais segurança ao investidor que um fundo criado recentemente com apenas um par de anos de histórico. O facto de um fundo dispor de um histórico mais alargado permite que o investidor possa ter uma noção do melhor e do pior que pode acontecer ao seu investimento, nomeadamente perceber o desempenho durante uma crise financeira e subsequente recuperação.

Outro aspeto relevante que deve analisar ao escolher um fundo para investir consiste na independência da sociedade gestora do fundo que poderá conferir uma segurança adicional ao seu investimento. É sempre preferível escolher fundos pertencentes a sociedades gestoras independentes e com provas dadas ao longo dos anos.

Por fim, como não poderia deixar de ser, a performance do fundo é outro dos fatores essenciais a analisar. Esta não deve ser considerada apenas de forma isolada mas por comparação com outros fundos e índices de referência relevantes. Se dois fundos investem no mesmo mercado, tipo de ativos e zona geográfica mas um tem uma performance muito superior ao outro, provavelmente esse é um indicador forte para escolher a primeira opção. Por outro lado, a comparação com índices de referência também pode dar pistas sobre a qualidade do fundo. Por exemplo, um fundo que invista exclusivamente em ações do mercado português e revele uma performance muito abaixo do principal índice da bolsa portuguesa (PSI 20), provavelmente não será uma boa opção.


Ferramentas úteis

Na tarefa de escolher fundos de investimento para subscrever, existem algumas ferramentas online que podem ser bastante úteis. Em baixo destacamos algumas:

  • Morningstar – Este website é uma das principais referências mundiais no que diz respeito a análise de fundos de investimento. Neste é possível consultar um leque alargado de dados e parâmetros de praticamente todos os fundos de investimento em comercialização. Além disso, dispõe de análises próprias e recomendações;
  • Funds People – Website e revista trimestral em português com notícias relevantes do mundo financeiro que podem ajudar na tomada de decisões de investimento;
  • Proteste Investe – Website da DECO direcionado para investimentos nos mercados financeiros. Possui análises a diversos ativos, simuladores e notícias.

Conclusão

A tarefa de escolher um fundo de investimento a subscrever não é fácil. Por um lado, existe uma oferta muito alargada, por outro, as diferenças entre eles podem ser pouco percetíveis para o investidor menos informado.

Para que possa fazer uma escolha o mais acertada possível deverá começar por definir o objetivo do seu investimento, quer em termos de prazo, quer no que diz respeito ao risco que está disposto a suportar. Estes dois fatores já permitirão afunilar o leque de escolhas.

Por outro lado, deverá fazer uma análise cuidada às diferentes opções, nomeadamente no que diz respeito à sociedade gestora do mesmo, ao seu histórico, volatilidade e outras medidas que ache relevantes para si. Nesta tarefa existe diverso conteúdo e algumas ferramentas online que o podem ajudar como por exemplo o website da Morningstar, Funds People e Proteste Investe.